Ponteiras elétricas com colar de plástico

Informação sobre a finalidade prevista das ponteiras elétricas com colar de plástico

Ponteiras elétricas com colar de plástico

As ponteiras elétricas com colar de plástico oferecem maior facilidade de inserção devido à forma cónica integrada no diâmetro interno do colar. Além disso, evita que as arestas de isolamento rugosas do condutor fiquem presas durante a conexão no ponto de fixação. Os diferentes códigos de cor oferecem um auxílio visual para a identificação das secções transversais.

Os requisitos para ponteiras elétricas estão definidos na DIN 46228. Portanto, esta norma é decisiva para condições básicas e parâmetros-chave.

null
Corte limpo, compacto e sem rebarbas

Ao contrário da opinião comum, o colar de plástico da ponteira elétrica não oferece proteção contra dobras, ao contrário das argolas de cabos isolados. O colar de plástico da ponteira também não é um suporte de isolamento mecânico e, portanto, não deve ser forçado por arrasto ou curvatura excessiva. Além disso, durante a montagem, devem ser sempre cumpridos todas as normas relevantes. De acordo com a DIN VDE 0298-300, os condutores só devem ser instalados com um determinado raio de curvatura. Por exemplo, um fio isolado de PVC com diâmetro de condutor ≤ 20 mm deve ter um raio de curvatura não inferior a 6 vezes o do diâmetro do condutor. Na prática, isto significa que nenhum arrasto significativo deve esforçar o colar de plástico da ponteira elétrica!

null
Condutor perfeitamente decapado

Para criar uma conexão crimpada otimizada, a norma DIN 46228 recomenda a utilização de ferramentas e contactos do mesmo fornecedor (por exemplo da Weidmüller). Só fazendo isto é que se pode garantir uma qualidade de processamento constantemente elevada. A Weidmüller oferece um portefólio de produtos correspondente, que permite processar condutores de um ponto de vista elétrico e mecânico, fornecendo conexões seguras, de longa duração e confiáveis.

Começar com um corte limpo, não apertado e sem queimador (por exemplo, com KT 8; art.: 9002650000), o condutor deve ser perfeitamente decapado (por exemplo, com Stripax; art.: 9005000000), a fim de garantir que toda a secção transversal está a ser crimpada no tubo da ponteira. No caso de terminações de condutores dispersas e referentes à DIN EN 60352, só é permitido torcer ligeiramente os fios únicos (restabelecer a condição original).

null
Fios a sobressair do tubo

Durante o processo de crimpagem, deve também ser assegurado que as ponteiras elétricas se destinam apenas para a utilização de condutores de fios finíssimos de acordo com a VDE 0295 classe 5. Os desvios devem ser avaliados. Para conexões de crimpadas com ponteiras elétricas e condutores com uma secção transversal de até 6 mm2 (AWG 10), recomenda-se que os fios únicos fiquem visíveis a 1 mm para fora tubo de cobre. Para secções transversais maiores que > 6 mm2 até 2mm.

null
Exemplos de geometrias diferentes do crimp

Além disso, é essencial selecionar a ferramenta de crimpagem com uma forma de crimpagem adequada para o ponto de conexão. Ao conduzir o crimp, é importante observar que o crimp deve ser colocado perto do colar de plástico.

Ao considerar todos os aspetos destas informações técnicas, é estabelecida uma conexão de alta qualidade e não-desconectável entre o condutor e a ponteira elétrica.

Downloads